Areias ao Vento
Sobretudo sobre o nada da existência arte,filosofia,e ciência; sobre tudo e sobre nada:do oculto e da sapiência

Pensão da Solidão 13 - Sangue na arena ou Eu sou a beleza da força

Marcadores:
Pensão da Solidão 13 - Sangue na arena ou Eu sou a beleza da força




Dois homens entram, só um homem sai.

Mad Max III – Além da Cúpula do Trovão

1. Você não fala sobre Clube da Luta;
2. Você não fala sobre Clube da Luta;
3. Quando alguém disser "pare" ou perder os sentidos a luta acaba;
4. Só dois caras em cada luta.
5. Uma luta de cada vez;
6.Sem camisa, sem sapatos;
7.As lutas duram o tempo, que for necessário;
8.Se essa é a sua primeira noite no Clube da Luta, você TERÁ que lutar.

Clube da Luta - livro de Chuck Palahniuk tansformado em filme, dirigido por David Fincher.

Enquanto caminhava para o ringue que era chamado de Arena pelos loucos e carniceiros da Pensão, eu me recordava dos capítulos do livro de Chuck Palahniuk "Lembre-se sempre: Você não é o que consome. Você é o que você é. Todos somos parte da mesma merda". Dei um último gole no absinto, antes do Pedro colocar o protetor bucal.Pedro me explicou que o boxe com luvas exige o protetor bucal, porque sem luvas as pessoas instintivamente ou por conhecimento, evitam bater no queixo dos adversários, porque, apesar de eficiente para nocautear ou até matar um oponente, um soco no queixo pode quebrar a mão de quem o desferir.
As lesões cerebrais e as lesões das juntas do queixo resultam do fato que a força do soco no queixo faz com que o côndilo da mandíbula bata violentamente na delicada estrutura da fossa glenóide. A gravidade das lesões provocadas por essa batida resulta do fato que a fossa está na base do cérebro, estando assim muito próxima dos nervos que saem do cérebro bem como dos vasos que lhe levam sangue. Ou seja, um soco que tenha direção e força capazes de fazer com que o queixo inferior bata na fossa glenóide irá produzir danos neurológicos e circulatórios. O nocaute é provocado por qualquer um desses dois tipos de danos, mas eles também são a causa das concussões e mil e um sintomas menores que podem durar a vida inteira.
Mas o que iríamos lutar naquela noite não era boxe, poderia se assemelhar ao boxe tailandês, onde vale usar mãos e pés,porém era uma luta mais mortal, sem regras,sem modalidades, muito pior do que o Vale-tudo dos Gracie.
Observei o corpulento Lúcifer subir no ringue, e pensei comigo mesmo, um pouco assustado, estava prestes a lutar com Lúcifer em pleno inferno.Eu sou a beleza da força, eu sou a beleza da força, repetia os versos de Grimaud como um mantra, para dar força, força para guerrear .
A multidão enlouquecida gritava morte,morte,morte e eu me sentia uma espécie de versão feia do Mel Gibson em Mad Max III, Além da Cúpula do Trovão,no qual a multidão eufórica por mais um embate mortal vociferava a frase de ordem: Dois homens entram, só um homem sai.O chão do ringue exibia manchas rubro - enegrecidas, de sangue coagulado, um mapa sinistro das lutas anteriores, marcas de mãos ensanguentadas e crânios estourados,estampados num sudário maldito.
Algumas mulheres na platéia mostravam -se mais animadas do que os homens, o que, inevitavelmente,suscita a questionar como um ser do sexo capaz de gerar a vida em seu interior pode demonstrar tanto desprezo pela existência humana, e, pior ainda, tanto gosto pela morte.Como conclusão rápida, sem eruditismos, concluí que foi para essa finalidade cunhado o termo vagabunda. Vagabunda é aquela mulher que vaga pela vida sem razão, sem emoção, sem um sentido ou objetivo para sua existência, tornando-se escrava das vicissitudes próprias ao ser humano em geral, particularmente àquelas comuns ao sexo feminino, isto é, o sexo libertino.Sempre me questionei como uma vagabunda de terceira categoria podia olhar para o seu filho crescido e dizer, amo-te, meu filho,sendo que ele nasceu de uma trepada meia-boca na qual o seu pai,um libertino, a penetrou no ânus primeiro,e na segunda rodada ejaculou na sua boca ?
Bem, a resposta pode ser o instinto materno, entretanto preferi naquele momento usar a raiva como fonte extra de energia, e pensei na maior de todas as vagabundas (não era a minha mãe, na época era a segunda maior) a minha ex-esposa.
Tirei a camisa e a platéia emudeceu. Lúcifer fez o mesmo, mostrando um corpo musculoso com uma capa de gordura cuidadosamente construída com arroz, feijão carne de churrasco e cerveja.
A galera começou a gritar para mim: bombado, bombado, bombado!Enquanto eu ensaiava alguns golpes para aquecer, Lúcifer ria de mim, e eu que sempre fui contra descontar as insatisfações e frustrações masculinas batendo em homens, procurei me lembrar das histórias a respeito de Lúcifer: matar uma velhinha inocente, uma vendedora de suspiros, com um tiro de 12 na cabeça, à queima roupa.Matar e torturar cães.
Soou o gongo e ele veio na minha direção.
Acertei um soco no seu queixo e ouvi o barulho de algo quebrando. Detalhe:não foi a minha mão.
Quando Lúcifer bateu no chão, já sem vida, a multidão invadiu o ringue.

Eu sou a beleza da força!
0 comentários:

Followers