Areias ao Vento
Sobretudo sobre o nada da existência arte,filosofia,e ciência; sobre tudo e sobre nada:do oculto e da sapiência

Fama (15 minutos de fama)

Marcadores:
Fama (15 minutos de Fama)

A fama é amiga da sorte, comadre da fortuna, irmã da morte.

Nós não escolhemos andar com ela, mas ela nos escolhe.

Ela não poupa ninguém, a todos trai

E ainda assim tantos a cobiçam

A fama não poupou Deus da criação

Judas da traição

Cristo da crucificação

Não poupará a mim e a você talvez também não.



Ela não poupou a lua das pegadas de Armstrong

Nem Kennedy, Lennon e Luther King do assassinato



Não poupou os astros do teatro da tevê e do rádio

do estrelato

Ela não poupou Roma das chamas de Nero

Nunca livrou Elvis do cemitério

Nem as crianças do Michael Jackso (n)



Pode-se ficar famoso sem ser estrela

pode-se alcançar o estrelato sem brilhar

basta pegar o seu carro e alguém atropelar

um banco assaltar

ou alguém seqüestrar

Famosos assim, por incrível que pareça

Muitos ainda hão de ficar.

A fama é a força que tira o homem do chão comum onde todos pisam - do pó a matéria de que somos todos feitos - e nos põe entre as constelações. Nos coliseus de Roma, onde os gladiadores lutavam até a morte, famoso era quem sobrevivia; depois famosos eram os atores dos teatros gregos entre as tragédias e as comédias; famosos passaram a ser os atores do rádio, a invenção maravilhosa desprovida de imagem , até que surgiu a televisão com as suas celebridades emolduradas em quadros móveis. Os astros do rock nos seus concertos apoteóticos em turnês globais, os políticos com a sua falácia demagógica repleta de promessas, os líderes religiosos convictos dos seus dogmas e credos, os esportistas às voltas com os extremos da derrota e da vitória, cada um deles um ao seu modo também são famosos. A fama é a força que traz fortuna e que também pode trazer a morte. Gandhi e Tiradentes morreram pelos seus ideais de liberdade, Lennon pelo amor em suas canções, Marylin morreu com a sua solidão e Kennedy por causa da política. Che morreu pela revolução, Hitler pela conquista, Júlio César pela loucura, Jim Morrison pelas drogas.

A fama é a força que traz o dinheiro, e com ela as mulheres, legiões de mulheres. A fama torna alguém o homem que é ninguém. Ah, mas se você não é famoso, é um zé ninguém e um zé ninguém não fala, não ouve, não vê...Se você não é Rui Barbosa, você é ninguém; se você não é Cabral, não faz mal... você não existe; se você não nasceu Carmem Miranda, não fique triste... está fora da ciranda. Cuidado com a fama, se ela depender da sua beleza, ela acaba cedo; se ela depender da sua juventude, ela vai embora. Se depender do talento há muitos aí fora... e um novo talento surge à toda hora.

A fama é a força traz fortuna e desgraça, atenção da mídia e traição.

Ela torna um a pessoa querida uma reles desconhecida

Ela começa súbita como um comercial e acaba rápido como uma canção.

Se você é uma mulher bonita, há muitas iguais nas esquinas da vida

Se você é um esportista, saiba que o jogo vira

E um dia , este será o seu tormento,

Por aí é que muita gente pira...

Você cairá no esquecimento!

Os que ficaram famosos com alguma invenção

procuraram pesquisaram e acharam algo sem igual

podemos dizer que são os mais infelizes então

estudaram vida inteira para ter uma idéia genial

e terminaram virando lição



Por Gregory Grimaud e Luis Fernando Borges

setembro de 2001 Trabalhos de Criação em Comunicação Social
0 comentários:

Followers