Areias ao Vento
Sobretudo sobre o nada da existência arte,filosofia,e ciência; sobre tudo e sobre nada:do oculto e da sapiência

Pensão da Solidão 12 - As tecedeiras de anjos

Marcadores:
Pensão da Solidão 12 - As tecedeiras de anjos

Eu sou a beleza da força - Epitáfio de Gregory Grimaud

O crime do Padre Amaro - resumo da obra(Eça de Queirós)

A semana mais estranha e intensa da minha vida começou no dia seguinte à nossa aventura mal-sucedida no gigantesco e penumbral porão da mansão-pensão-solidão.
Quando eu e a minha esposa terminamos, ou melhor, quando ela terminou comigo para ficar com o meu melhor amigo, decidi que era uma bobagem não ter amizade com o pessoal da Pensão.Comecei uma série de encontros, para falar a verdade foram sete encontros com sete almas entre os 66 habitantes da Pensão.
O primeiro encontro,na segunda-feira, foi com Olga, a ex-modelo enrugada, envelhecida e decadente, magra devido a anorexia, a bulemia e cocaína.O Professor Ataliba a chamava de Osga e ela nem percebia, mas além de engraçada, a alcunha era um verdadeiro nome tribal, pois realmente ela se parecia com uma lagartixa, os seus vasos sanguineos apareciam nitidamente sob a pele tênue e esbranquiçada.
--Olhando como eu sou hoje, você pode não acreditar,mas eu já fui muito bela.Você teria uma ereção só de olhar para mim, e gozaria só deu sentar do seu lado. - disse ela, mal dando uma garfada na lasanha e correndo para o banheiro vomitar tudo.
Esqueceu de dizer do quanto é solitário ser querido e desejado por todos ao mesmo tempo e por nenhum a um só tempo.E também não falou do aborto.Olga rejeitava víveres e rejeitara da mesma maneira a vida crescendo em seu ventre.

Terça-feira,veio o Padre Amaro, e soube que o homem evidentemente adotara um codinome, pesado,é certo, por lembrar o personagem homônimo do romance de Queiroz.O seu porte robusto e refinado era semelhante a algum ator do teatro inglês,mas o nariz aquilino era um tanto quanto espanhol,e apenas os cabelos grisalhos sempre cortados curtos denunciavam a sua idade.Primeiro, ele me falou sobre a solidão dos Padres, em parte motivada pela castidade.
Explicou-me sobre as exéquias, de como a gula é usada para substituir em muitos casos o sexo e de como o alcoolismo pode ajudar no sacerdócio.Discorreu longamente sobre a razão de ser um pederasta e não um pedófilo, porque os padres preferem os meninos por serem mais doces e meiogos do que as maninas e de como a sodomia é mais vantajosa do que o coito vaginal, e sem risco de gravidez.Depois prosseguiu falando sobre as hesiquias, que em nome se assemelham as exéquias, mas não se trata de morte e sim de uma corrente cristã fundamentada na Oração do Coração e enraizada no Novo Testamento,que foi assumida por uma corrente própria da espiritualidade oriental antiga e foi chamada de hesicasmo. O nome provém do grego hesychìa que significa: calma, paz, tranqüilidade, ausência de preocupação.
O hesicasmo pode ser definido como um sistema espiritual de orientação essencialmente contemplativa que busca a perfeição (deificação) do homem na união com Deus através da oração incessante.Todavia, o que caracteriza tal movimento é, a afirmação da excelência ou da necessidade da própria hesychia, da quietude, para chegar à paz com Deus.
Os hesicastas, inserindo-se na tradição bíblica, exprimirão a experiência da oração contemplativa através da invocação e da atenção do coração ao Nome de Jesus, para caminharem na Sua presença, serem libertados de todo pecado e permanecerem no suave repouso de Deus à escuta da Sua palavra silenciosa
.A história do hesicasmo começa com os monges do deserto do Egito e de Gaza. "A nós, pequenos e fracos, não nos resta outra coisa senão refugiar-nos no Nome de Jesus", disse um deles. Depois, se firma com o mosteiro do Sinai, com São João Clímaco. Um expoente máximo é, seguramente, Simeão, o novo Teólogo. Renascerá no Monte Athos no século XIV.O termo grego hesychìa é traduzido em latim por quies, pax, tranqüillitas, silentium. Em geral, hesiquia significa quietude, mas pode também querer exprimir a paz profunda do coração. A etimologia é incerta: talvez o verbo da qual deriva - hèsthai, significa estar sentado.
Na literatura monástica, hesiquia revela no mínimo dois significados. Antes de tudo, tranqüilidade, quietude e paz, como estado de alma e condição estável do coração necessária para a contemplação. Significa ainda desapego do mundo na dupla acepção de solidão e silêncio.A hesiquia expressa na paz, quietude, solidão e silêncio interior, que se consegue através da solidão e do silêncio exterior, se apresenta, todavia, como um meio excelente para se conseguir o fim da união com Deus na contemplação, através da oração contínua. Enquanto meio e não fim, a hesiquia distingue-se, quer seja da apàtheià dos Estoicos, entendida como ausência e liberação das 4 paixões fundamentais: a tristeza, o medo, o desejo e o prazer; quer seja da ataraxia dos Epicureus, que consiste na libertação da alma das preocupações da vida. Estes movimentos filosóficos sublinham e buscam a paz e a quietude da alma, somente como fim último e não como meio para uma plenitude de vida que somente Deus pode conceder.
Na literatura monástica, ao contrário, e em particular junto aos Padres do deserto, a hesiquia mantém sempre um colorido de meio e não de fim. Esta é um meio excelente, um caminho de amor autêntico, vivido no silêncio e na solidão com o fim de se chegar à oração verdadeira e autêntica contemplação. A hesiquia, em resumo, é o comportamento de quem, no próprio coração se põe na presença de Deus.
Para compreender os vários aspectos da hesiquia que o monge é chamado a exprimir, podemos nos referir à vida do abade Arsênio, o pai dos anacoretas. Eis como é contada a sua vocação à hesiquia: "Aba Arsênio, quando ainda morava no palácio imperial, orou a Deus com estas palavras : 'Senhor, mostra-me o caminho que conduz à salvação '. E uma voz se dirigiu a ele e lhe disse: 'Arsênio, foge dos homens e serás salvo '. O mesmo, já anacoreta, na sua condição de eremita, de novo dirige a Deus a mesma oração e ouviu uma voz que lhe disse: 'Arsênio, foge (do mundo), permanece em silêncio e descanse na paz (hesiquia). Esta última frase está na origem da vocação dos hesicastas: "Foge, cala, repousa!" . A fuga do mundo, o silêncio e a paz interior são os três comportamentos que dão forma ao estado de vida do monge, particularmente, do anacoreta.
O autêntico monge é chamado a viver, antes de tudo, a solidão. Os Padres do deserto sublinham com muita força a fuga dos homens, isto é, a necessidade de reduzir ao mínimo o contato com eles.Alguns contatos discretos com o mundo podem ser também vantajosos. A hesiquia como solidão não quer dizer somente fuga do mundo, mas quer dizer também uma certa estabilidade num determinado lugar solitário.A solidão pode exprimir-se também num comportamento de contínua peregrinação de um lugar para o outro. De fato, todo lugar deve ser estranho ao monge. Uma tal estranheza - xenitèia - indica uma espécie de exílio voluntário longe das coisas mundanas. Aqui se encontra a autêntica hesequia, ou o verdadeiro eremitismo, ou a anacorese interior, o monaquismo do coração.Na solidão, o monge é chamado a viver o silêncio. Deste modo, a busca cristã da solidão e a ligação entre a solidão e a oração prolongada, êxtase e sofrimento, vem solidamente afirmado.

Foi o que ele me disse, e depois prosseguiu com um sermão ou homilia, ou seja lá o que fosse, pois falou muito como umn verdadeiro padre e muito explicou sobre a Pensão da Solidão, indiretamente,através das suas palavras:

Alguém tem que fazer o serviço sujo, eu não concebo anjos cuidado das merdas que expelimos pelos nossos ânus imundos.Também não faz sentido elementais da terra cuidando de terrenos, especialmente de cemitérios contaminados com detritos nucleares, lixo tóxico e o chorume nauseabundo.Para mim faz sentido a existência de demônios, eles são os zeladores e faxineiros cósmicos, cuidam dos necrotérios, dos manicômios, dos nosocômios, asilos, criptas e mausoléus, das catacumbas, canos de esgotos, subterrâneos,literatura underground, dos ânus arrombados pela sodomia,das narinas corroídas pela cocaína, das bucetas arrombatas pelas picas enormes durante as surubas, dos poetas malditos e de tudo o que é feio,sujo, decomposto,apodrecente.Agora, pense bem, as pessoas que cuidam do que é sujo e imundo no nosso mundo, material,no planeta Terra, são por acaso demoníacas?As enfermeiras, psiquiatras, garis,faxineiros,médicos,legistas,carcereiros, zeladores,coveiros,dentistas,prostitutas,etc?
Talvez se apresse em responder, as prostitutas são demoníacas mas antes é demoníaco o dinheiro que as mantém atreladas ao vício com caráter de profissão, e antes é demoníaco o impulso que as impele ao vício e antes ainda são demoníacos os seus clientes, ou melhor o mesmo impulso que neles subesiste(resiste, insiste,existe e persiste).Então, nesse caso é demoníaco o impulso sexual, e a Igreja sempre avisou.Porém mais demoníaco que o impulso - ou, talvez,somente isso - seja o coito pago que faz das prostitutas pobres coitadas.Então, se demoníaco é o pagamento pelo coito, demoníaco é o dinheiro,mas não ele em si, porque o dinheiro é usado para adquirir bens e víveres, e bens têm tal nome por trazerem o bem e víveres por sustetarem a vida, pois o dinheiro pode não ser tão ruim assim, a despeito de Mammon, mas o fluxo de dinheiro em si é maldoso.Ainda podemos buscar a origem do Mal indo mais longe, pois a questão não é o fluxo de dinheiro, o curso de um rio, o curriculum vitae,e sim de onde parte o dinheiro.Pois pouco importa o andar de uma carruagem, mas o ponto de partida, seu destino e as paradas no caminho.Aqueles que detém grande parte do dinheiro são os verdadeiros demônios desse e de outros mundos abissais, pois tornam tão escasso o dinheiro em fluxo a ponto de obrigar aqueles que não o detém a fomentarem em si e nos outros toda a sorte de vícios para serem trocados por dinheiro no ato da satisfação dos instintos baixos.Portanto são demoníacos os ricos e limpos empresários, os bilionários abastados e excêntricos e seus asseclas organizados numa hierarquia, são também, demoníacos até certo nível, digamos, até o nível daqueles que ganham o dobro do que um único homem deveria ganhar,pois a fartura de um é a subnutrição de outro.E são demoníacos os políticos que articulam, conchavam,parlamentam e fazem tramitar as leis mentenedoras e legitimadoras do status quo do capitalismo.Enfim, chegamos ao nome coletivo dos demônios, se não das suas hostes como um todo, ao menos do seu sistema. Capitalismo, o capitalismo e outras formas de economia, de política, de sistemas impessoais e desumanos de governar e escravizar os próprios homens.Porém os homens não acreditam em sistemas políticos e teorias econômicas, per si, mas crêem na sua própria fé na continuidade da vida além da matéria, na origem dessa vida além da matéria.Com o seguinte detalhe a ser acrescentado, as multidões de homens acreditam na sua própria fé através das religiões e quando as religões fazem acordos com os capitalistas e com os governos, visando a mútua cooperação para o controle das massas, essas religiões são verdadeiras igrejas negras e é negra a sua missa e não há sacramentos e sim maldições sobre os fiéis.tratam-se de igrejas demoníacas e, sobretudo nelas, está a origem de todo o Mal, da sujeira, dor, sofrimento, doença, morte e putrefação humana através das eras.A própria busca de Deus é a origem do Mal no mundo.

Fazia frio, era uma quarta-feira nublada e garoava, quando veio Zequinha do morro, ou José Silvério aquele estranho e medonho homem fora um empresário da noite no Rio.Lutador de Jiujitsu, aparecera na televisão em campeonatos cheios de violência regrada,até se unir ao crime organizado.Jogo do Bicho, lenocínio, tráfico de drogas, uma grande empresa do crime, com inúmeras fachadas legais,lavagem de dinheiro,propinas,corrupção ativa,chantagens,patrocínio a escolas de samba,assassinatos.Infelizmente, Zequinha, o Satanás, perdeu a guerra contra os concorrentes e teve que apelar para os amigos paulistas.Hoje, continua sendo um traficantezinho mequetrefe de terceira categoria, atuando na Pensão e rendondezas.Zequinha me contou como rasgou o períneo da namorada que o traíra e a penetrou ao mesmo tempo no ânus e na vagina, no primeiro e último estupro do qual a pobre seria vítima.Mais tarde ele descobriu que ela estava grávida.Bem mais tarde.Tarde demais.Ele decidiu depois da visita que me daria aulas de jiujitsu, uma hora por dia,apenas dos golpes mais eficazes e mortais, a técnica Gracie de jiujitsu brasileiro, a luta mais eficiente e mortal do mundo,uma arte marcial híbrida, aperfeiçoada pelos brasileiros cariocas.

O Frescalhão Joselino veio na quinta-feira,ele parecia um clone terceiro-mundista do Marylin Manson, contou-me das maravilhas da cocaína com uísque, ofereceu-me um boquete,que recusei imediatamente.Falou de como ele se virava na solidão homossexual, do sexo auto-suficiente,autopenetração e como fazer sexo oral em si mesmo, uma técnica quase yogue para driblar a solidão,que me fez lembrar do ourobouros, o símbolo do infinito.Contou como passou de fisiculturista a transformista, dos hormônios masculinos aos femininos, e me lembrou do Animus e do Anima junguianos, da nossa dupla natureza sexual. Então, ele esperou que eu dormisse, invadiu o meu quarto e injetou-me esteróides anabolizantes. Acordei desesperado achando que o rato infernal retornara das cavernas sob a Pensão para terminar de me comer vivo.Em seguida, me desesperei ao saber que ele havia injetado aquele veneno na minha corrente sanguinea, e como reagiria com o absinto?

No dia seguinte,na sexta-feira, confesso,me animei ao sentir mais leves os pesos e sentindo os meus músculos crescerem, minuto a minuto.Recebi a curiosa visita do Professor Ataliba .Ele me trouxe um livro do tal poeta maldito Gregory Grimaud.Eu recusei, dizendo:
--Esse não é o poeta que vive viajando por todo o mundo, simulando a própria morte antes de lançar mais um pésimo trabalho poético?
--Leia, você irá gostar.
--E quem você acha que é, só porque todos o chamam de professor acha ser capaz de avaliar um bom poeta?
--Preste atenção na minha história, rapaz.Eu sou professor de língua portuguesa, lingua inglesa, redação e literatura.Aperfeiçoei os meus conhecimentos a ponto de me tornar insuportável.Os meus alunos me lincharam e estupraram em plena sala de aula, destruíram o meu carro e logo depois a minha casa se incendiou.Leia Gregory Grimaud e esqueça que um dia eu fui professor.
Mais tarde eu descobriria um mistério que une os professores da Pensão, algo profundamente enraizado com a razão verdadeira da minha estadia naquele lugar funesto: o mistério do tesouro de Noberto Figueira.E, antes mesmo disso, o Professor Ataliba revelaria ser bem mais do que um professor de línguas e literatura.

Sábado à noite eu realmente não estava disposto a receber visita alguma, mas arranhôes na porta à meia-noite fizeram-me pensar no quanto eu já tinha bebido de fada verde e de quando voltaria a ver Ingrid Darc.Abri cuidadosamente a porta, sem saber se levaria outro soco, tiro, garrafada, estiletada ou se alguma ratazana de filme trash ia pular na minha cara.Era um gato, um gato preto,O gato que ri.Fiz cara de nojo, o Padre Amaro estava no quarto com um menino e abriu a porta, nu,ainda abraçado com o garoto e falou-me:
--Felibus domo absentibus, mures saltant.
Ele tinha razão, eu precisava mesmo de um mascote. E foi assim que deixei o misterioso gato que ri se tornar o meu companheiro na maldita pensão daqueles que andam a sós.

Enquanto isso ou aquilo tardava a acontecer, muitas outras coisas se sucediam e todos os dias vinha o Pedro Pedra Preta e me ensinava como lutar de maneira arrasadora, usando a fúria, o medo de morrer, a raiva, frustração e o desejo de superar o outro macho para copular com a fêmea.Eram socos e chutes dados com toda a força e ódio possíveis e imagináveis, contra focos cada vez menores, mais pesados e duros.O treinamento era intercalado com levantamento de pesos supervisionados pelo Joselino, e durava seis horas por dia.Depois ele permitia que eu tomasse um gole de absinto, e engolisse alguns aminoácidos, creatina e outros suplementos .No primeiro dia, perdi quatro quilos.Era toda a minha gordura corporal.No segundo dia, e ao longo da primeira semana, fui ganhando peso em massa muscular, um dois, três,cinco quilos. Na segunda semana, mais hormônios, mais treino,Satanás e joselino,mais suplementos e consegui derrubar o Pedro, apesar de quase ter quebrado a mão.Na terceira semana,mais hormônios e o Maciste veio reclamar do barulho, mandei-o à merda e ele desferiu um soco na minha cara, eu voei três metros e bati fortemente contra a parede, só não fiquei com o nariz quebrado e três dentes arrancados porque estáva usando proteção.Irritado, arrebentei as correentes e cabos de aço e invadi o quarto do negão.Maciste tinha dois metros de altura, pesava 150 quilos e boatava medo num batahão.Deixei ele desmaiado e voltei a treinar. No dia seguinte ele veio limpar o meu quarto e se ofereceu para ser o meu servo. Na quarta semana,ainda mais hormônios e, logo na segunda-feira,lutando contra Pedro, acertei-lhe um soco, ele atravessou uma parede de alvenaria e caiu em cima do casal de gays do quarto ao lado, enquanto eles transavam.Rimos muito da situação.Estava chegando a hora, a hora da Arena.

E eu dizia a mim mesmo:eu sou a beleza da força!

Followers