Areias ao Vento
Sobretudo sobre o nada da existência arte,filosofia,e ciência; sobre tudo e sobre nada:do oculto e da sapiência
Marcadores:
Tempestade de Areia: Interlúdio Pegasus

Através da areia escaldante, dunas e pirâmides espreitam o florescer de novas savanas...Beduinos atravessam confiantes o imenso deserto, porque sabem que não existe caminho incerto para as verdadeiras caravanas....

Um dia no calor do deserto, um príncipe árabe perdido, pensando estar abandonado e esquecido, claudicou e adormeceu entre as dunas...
Ele sonhou e repassou fortunas, conquistas e amores
E quando a Morte se aproximava, sentiu um calafrio diferente, vindo da imensidão, vindo do interminável vazio...
A tempestade de areia cegou momentaneamente a esperança, mas uma brisa soprou de repente na mente, mudando toda a sorte...
Vinda no Norte,gerou um Oasis,depois surgiu uma Savana e um tropel bendito e salvador de uma eterna Caravana
Na frente de sete dromedários, um sheik de negro brincando com as cores primárias, conduzindo os anjos beduinos...
E o reluzir e tocar de sinos...
E o príncipe não sucumbiu, Luzes na Tempestade de Areia, ele ainda viu..


Seria um milagre no deserto??? um pégaso branco se aproximou: um cavalo selvagem, gerando Asas entre a realidade e a miragem...
E o Príncipe voou e voou..
Alçou sonhos de mil e uma noites, dobrou miranetes de Bagdá, Louvou Alá, ultrapassou tapetes mágicos, venceu a Morte e derrotou inimigos invisíveis, os mais terríveis, os mais vis...
E o pégaso, Pegasus.. uma Constelação Formou,Brilhou o cavalo real árabe que cavalgou... cavalgou...
0 comentários:

Followers