Areias ao Vento
Sobretudo sobre o nada da existência arte,filosofia,e ciência; sobre tudo e sobre nada:do oculto e da sapiência

criptocaleidocalicacodécos



Direito de resposta, para aqueles que acham que escrevi algo sem sentido no texto supra-intitulado

cripto = algo cifrado

caleido = belo mas confuso, como um caleidoscópio

cali = belo

caco = torto, errado

décos = decorativo



Eu sou o resto do resto, o fóssil vivo de sonhos sepultados outrora, sou sedimento, sentimento, perdido esperando a datação por carbono 14.
(Eu sou uma pessoa antiquada e sozinha)

Quem fui eu, manuscrito ininteligível em caracteres ideográficos, idiossincráticos, idiotas, mensagem numa garrafa de vodka sozinho em casa pobre de mim."Você nasceu sentado em livros"
(As pessoas não me entendem, nem a mim nem a minha letra ilegivel, que se parece com hierógrifos. A minha mãe me disse essa semana que nasci sentado em livros)

De verve poética sem ética, escalafobética fuga numa vassoura alada. Mandrágora, estragão, bezoar, estramônio, metacarpo. "Você é bruxo?"
(Eu tenho impulsos de um poeta, sangue de um guerreiro, o instinto de um escritor e a minha religião é o paganismo, alguns querem me "queimar" como se fosse um bruxo)

Contramão dor na mão, pobre tendão." O mediador entre os cérebro e os músculos precisa ser o coração"
Brrrrrft, groft,arrgghh.
(Estou com os tendões das duas mãos estourados, ainda assim não deixo de escrever)

Andando na noite, mestre me encontre antes que eu me perca dentro de mim.
Uma taça de vinho, poeira no sótão, ratos no porão.
(Acredito que exista uma cidade dentro de cada um de nós; precisamos de um guia para não nos perdermos dentro de nós)

Casa, quase caso, acaso, ocaso. "Você está gordo!"
Liseux, santa Terezinha: o casal perfeito desfeito.
(Eu quase me casei com a bela Lisie. Quando me encontrei com ela depois de termos terminado, ela disse que eu estava magro. Agora, dizem que estou gordo. Nem assim a esqueci, ou não teria escrito sobre ela)

Perdi o meu celular em algum lugar que sei lá. Se você me ligar, não vai me encontrar. (Deixe recado mesmo assim).
(Realmente perdi o meu celular)

Duas esferas vermelhas, dois tiros certeiros. Um rosto no espelho.
(Bolas vermelhas para reforçar os tendões das mãos)

"My boy, you just like me".
(Você é como eu...somos do mesmo sangue, você e eu)

Um pesadelo ao acordar.
(Para mim, estar vivo é um pesadelo)

Um castiçal com uma vela branca, lua crescente, uma ampulheta, um incensário e um ventilador.
(Objetos sobre a minha cômoda-gaveteiro-altar)

Hormônio, orgulho, homônimos.
(Descobri que há caras tão grandes como eu, o que fere o meu orgulho e vaidade, e que há outros patricks...)

"O que shignifica huma crux he hum triángulo?"
(Perguntou-me uma professora americana)


Cães levam água na cabeça aos mortos.
(Disse-me a minha chefa)

Um tatu dentro de casa.
(A minha colega capturou um tatu para comer, mas foi ele comeu toda a horta da sua casa pela raiz; e continua ali, nas profundezas do quintal como o mascote da família)

Paleoparasitologia, química sustentável.
(Palavras-chave em artigos que cataloguei)

Eu sou o senhor de todas as palavras: e da falta de palavras.
(Eu mesmo, mudo diante de uma cantada inesperada)

Ziriguidum, pelourinho,atabaque caruru . Capoeira, candomblé, macumba, afoxé. Olodum,baticum, tapioca : tudo combina com café.
Jéssica.
(Palavras de um trabalho da facu que ajudei a bela Jéssica a fazer)

Todo pierrô precisa de uma colombina.
(Recado para ela e também uma frase que fiz para camisetas de um grupo de malabaristas de SP )

Recortes, recordes, recorde-se.
(Sobre as minhas lembranças)

Não há palhaço que não chore por dentro o sorriso que gargalha por fora.
(Idem acima, para o grupo de malabaristas)

Me diz como eu me sinto numa segunda-feira cinzenta, e o veneno que cospe uma serpente.
(Toda a segunda-feira eu acordo envenenado como uma serpente)

Anjos vestem negro quando andam pela terra. Eu falo com os mortos.Mas eles têm pouco a dizer.
(Pura verdade)

Deus faz malabarismos com os planetas.
(Frase para os malabaristas)

Cabeça e cauda do dragão.
(Os nodos lunares no mapa astral, nosso destino e carma...tenho pensado muito nisto)

Eu já não ando mais sozinho.
(Música do RPM)

Um anel para a todos dominar.
(Do verso do anel, do Senhor dos Anéis. Aguardem o primeiro resumo da obra feito no mundo...por minzinho)

A nova geladeira não faz tanto barulho.
(É uma beleza a nova geladeira de casa...)

Apocalipse 13: 16~18.
(Sobre...computadores)

Esquimós vendem direitos de caça e pesca a canadenses. Sangue no gelo.
(Um artigo que não me sai da cabeça)

O mundo que vocês contruiram para vocês é um inferno. Não reclamem daquele que construí para mim: o caminho para o paraíso passa pelo inferno.
(Para todos aqueles que não entenderam a minha descida ao inferno, narrada e descrita neste blog)

Lisie: o seu corpo é o fruto proibido, a condenação de todos os homens.
(Olhar 43 do RPM + Lisie)

Festa da Giovanna. Uma impressora sacana.
(Quando fui entrar num blog da FGV, algo de estranho ocorreu e as fotos
dos casais transando na festa começaram a sair impressas na sala da minha chefa...mas consigui abortar a impressão a tempo, sem que ela visse)

Um mago, ganesh, esfinge, um tigre.
(Objetos na minha escrivaninha)

Um trago, engane-se: ela finge estar triste.
(A última impressão que tive de Lisie: que ela fingia estar triste)

0 comentários:

Followers