Areias ao Vento
Sobretudo sobre o nada da existência arte,filosofia,e ciência; sobre tudo e sobre nada:do oculto e da sapiência
.:I:.Areias ao Vento.:I:. Renascido do Inferno

Novamente



Novamente olhar nos olhos que miram, olhar na boca que fala, novamente . Renova-se o ânimo perdido, mente quem diz que não sente o limiar de um novo dia, nova hora, nova sorte. A mente que pensa,a mente que sonha, a mente que sente, sabe que crepusculos e auroras se sucedem e que os dias se passam reticentes...abrem-se parênteses de (felicidadades) e fecham-se em abraços de saudades; a chave do {saber} é o conhecer a si mesmo através dos outros, dois pontos: eu, tu . Pontos que se ligam e formam uma reta, e retas parelelas se encontram no infinito, infinitivos de verbos ainda não conjugados e miríades de substantivos abstratos esperando se encontrar num cruzamento de eixos , para formação de uma frase que torne real a equação (felicidade) = {saber}, quando, um dia, antes da aurora, os olhos mirarem a boca falando "eu amo tu" - e você se saberá feliz novamente -, e ponto final.
0 comentários:

Followers