Areias ao Vento
Sobretudo sobre o nada da existência arte,filosofia,e ciência; sobre tudo e sobre nada:do oculto e da sapiência

O Livro dos Mortos Parte 1: no cemitério

O Livro dos Mortos



Parte 1: no cemitério




Margaridas. Odor de Margaridas. Cor de margaridas. Estou num jardim. Então o jardim começa a se afastar, mais e mais. Eu vejo um túmulo coberto de flores e algumas pessoas em volta:Raelis, Spab, Beck( uns 3 deles) Al , Alex , e vários outros. Eu tento conversar com eles mas ninguém me ouve . O padre católico balbucia baboseiras sem sentido enquanto eu me concentro na lápide da tumba e leio o epitáfio:


Nasci da união da mãe beleza e do pai força.
Eu sou a beleza da força.
Fui batizado no fogo das paixões.
Na crisma confirmei a minha fé no vento.
Comunguei no ar que sopra o espírito
Como as folhas secas das árvores, a minha eucaristia.
Confessei as montanhas os meus pecados
E descobri com o eco: as montanhas pecam como eu!
Assim ordenei-me o Sacerdote dos Ventos


Sacerdote dos Ventos...isso arepiou algo em mim. Eu sou o sacerdote das areias ao vento.Não não pode ser. Eu estou morto. Demora-se um pouco para acreditar mas agora eu sei. Eu estou morto. As pessoas estão se afastando do meu túmulo, resta agora um último homem. Ele veste um sobretudo preto, mas sob a casaca há uma roupa social. Ele jogou algo sobre as margaridas do meu túmulo:

Um papel. "Cobranças União.Se você não pagar o seu CPF vai pro cadastro negro do SPC".

Eu gargalho e a minha voz invisível ecoa além de mim para lugar algum. CPF! Morto não tem CPF. Só se for Cadastro de Pessoas Falecidas.SPC! No além, só se for : Sossega, Porcaria de Cobradores!

O homem se vai. O sol está quase se pondo.
Por um instante vem a imagem na minha mente: Vó Emília. Vó Emília! Mas a imagem desapareceu O sol está se pondo e as sombras tomam conta do cemitério. Tudo escurece em volta e dentro de mim.
Então um aglomerado de sombras projetadas do meu túmulo formam a figura de um homem vestido de preto.Ele está vindo para perto de mim; é moreno e tem ar amistoso:


--Olá, Gregory. Eu estava esperando o por do sol para falar com você. Venha comigo que lhe mostrarei o caminho para a sua próxima existência.

Eu sei quem ele é. Sei o que ele é. Sei que não posso ou não devo segui-lo. Mas em vida ninguém se ofereceu para me guiar. Talvez na morte eu tenha conquistado esse direito. O apelo dele é irresistível: ele vai me indicar o caminho.

--Venha, não hesite. Não é todo o dia que eu recebo um mortal. Descartar essa honra milenar seria um erro.

Eu o sigo e ele me leva para as sombras.

Continua

Agradecimentos à Federação Espiritualista Caboclo Orixá Pai Bento, Salvador - Bahia por terem recebido a minha longa mensagem.

Followers