Areias ao Vento
Sobretudo sobre o nada da existência arte,filosofia,e ciência; sobre tudo e sobre nada:do oculto e da sapiência

Os subterrâneos da minha alma

Os subterrâneos da minha alma



Estive pensando com os meus botões virtuais sobre muitas coisas. Estou em casa, eu e a minha avó, já que mamãe decidiu escapar para arriscar a sorte no bingo, como sempre. A relação que faço entre essa coisa de morar com a mãe e a avó e a formação da minha personalidade é bem simples e arrepiante: H.P. Lovecraft, o maior escritor de terror o século XX, criador dos mitos tenebrosos contidos no livro The Call of Ctchulhu - que mais tarde influenciaria Hobert E. Howard na elaboração do universo de Conan, o bárbaro - produziu horrores porque morava com a mãe e a tia, e nunca se casou. Da mesma maneira, aqui estou eu em casa, esquematizando uma história de fição científica ambientada no ano 3000 e arrumando a minha coleção de quadrinhos. Espero não continuar muito tempo trancado neste domicílio, para não ter que produzir mais horrores para serem lidos neste mundo tão cheio deles. Abrindo a revista Asilo Arkhan, elaborada pelos artistas Grant Morrisson( Homem-Animal) e Dave Mckean(capas de Sandman), encontrei uma interessante ilustração, onde é mostrado os canos do Asilo se transformando em vasos sangúineos... o que me remeteu à uma série desconcertante de associações que vou tentar explicar aqui. Primeiro, Dave Mckean, o ilustrador da revista, é o mesmo artista de quem surrupiei trabalhos aqui para fazer o logo Areias ao Vento. Segundo, Asilo Arkhan é o sanatório onde Batman interna os seus inimigos loucos: o Chapeleiro Louco, o Crocodilo, o Duas-Caras, e, entre vários outros, o pior de todos, o Coringa. O Asilo Arkhan outrora foi casa de família marcada por uma desgraça, o lugar inteiro é vivo, uma alma atormentada, daí os canos se transformando em vasos, como se a casa estivesse se tornando um organismo.Isto significa que Batman, internando seus inimigos ali, só piora a situação deles. O fato da casa ter vida própria me fez associar a idéia ao organicismo de Durkheim , a teoria que vê a sociedade como um organismo. E também me tocou profundamente ao me lembrar da "Casa dos Meus Sonhos" - que, apesar da ambigüidade, não é uma casa bela com a qual tenho "sonhos", idealizações de possuir um dia. Não, não. É uma casa assombrosa que varia do estilo gótico ao Vitoriano com a qual tenho sonhos recorrentes, alguns narrados aqui nos posts em tópicos intitulados "sonhos" . Na casa, à exemplo da canção de Zélian Duncan "um templo em mim, onde eu possa ser imortal..." ,há uma igreja, como era comum nas Casas Grandes brasileiras, anteriores à Abolição da escravatura, em 1888. Em alguns sonhos, há apenas um altar, cuja localização varia do sótão ao porão; em outros sonhos, descubro um acesso pelo sótão que leva a uma enorme catedral oculta, escondida atrás da casa. É preciso coragem , nos sonhos, para descobrir e mesmo penetrar na catedral. Deixemos de lado as explicações freudianas cabíveis aqui, não que discorde delas e da estrutura da personalidade segundo Freud, mas simplesmente porque eu já me aventurei no interior de uma Catedral, aquela no Paraíso em São Paulo, e isto certamente influencia os meus sonhos. Na ocasião, eu estava acompanhado da minha namorada e nós subimos as escadas que levavam à torre do sino, mas flagramos um padre se trocando e decidimos empreender fuga em desabalada carreira escadaria abaixo. O que nos levou ali foi o meu ímpeto, na época, de pesquisar à respeito das religiões, pois detivera-me muito tempo nas práticas de Yoga , Meditação Transcendental e nos estudos do oculto e eu queria entender as diferenças entre as crenças. De alguma maneira eu retive aquela aventura no meu inconsciente, como uma ocasião-símbolo da minha busca espiritual, e a catedral se transferiu para o meu interior, para dentro de "casa". E a catedral ressurge quando as portas da casa( o meu inconsciente) se abrem para mim mesmo nos meus sonhos.
Então algo já se amarrou aqui: A Casa dos Meus Sonhos, a arte de Dave Mackean para o Asilo Arkhan, e o meu weblog. Portanto, cheguei à conclusão de que a figura de fundo ideal( após tantas trocas) será algo baseado no Asilo Arkhan de Morrisson e Mckean, porque quadrinhos remetem à arte tosca e contracultura, e contracultura foi o meio onde se desenvolveu a internet antes de se tornar fenômeno mundial. Porque canos remetem ao porão da casa ( o inconsciente) e vasos sangúineos ao interior da pessoa( as entranhas, os desejos e vontades).
E a analogia final é que o Areias ao Vento é a minha casa, e, escondida nela(nos arquivos), está uma catedral que, se você tiver coragem de se aventurar, poderá conhecer. Benvindos então à minha casa, vós que entrais.








Followers