Areias ao Vento
Sobretudo sobre o nada da existência arte,filosofia,e ciência; sobre tudo e sobre nada:do oculto e da sapiência


símbolo = arquétipo = mito


Arquétipos Urbanos




Os arquétipos são aqueles tipos gerais de pessoas, coisas e lugares que se repetem indefinidamente. Por exemplo, você já esteve num desses arquétipos de boteco de esquina imundo com aquele balconista feio, mal-arrumado, a barba por fazer com um pano de prato pútrido no ombro direito(que é o mesmo que ele usa como lenço para enxugar o rosto ou para limpar o balcão)?Pois bem, o balconista é um arquétipo de pessoa; o bar, de lugar. Ah, o pano de prato imundo é um arquétipo de coisa imunda.
Esses tais arquétipos podem aparecer a qualquer hora, em qualquer lugar. Eles causam uma sensação do tipo "eu já vi esse cara antes" ou uma impressão estranha como "eu já estive nesse lugar..." Alguns arquétipos são divertidos, outros são incômodos ou até perigosos
Os arquétipos que inicialmente descreverei são os arquétipos de cidadãos urbanos. Aquelas pessoas com as quais você tromba na rua , encontra no supermecado e com o tempo vai catalogando como tipos. Eu não sei bem se conseguir detectá-los é uma vantagem, uma habilidade, uma capacidade ou apenas um azar. Talvez eu simplesmente esteja andando demais por aí ou quem sabe ficando velho...
Alguns dos arquétipos urbanos mais comuns são: aposentado, dona de casa(do lar), estudante, doméstica, office-boy (e derivados), executivo,mendigo, pivete, ladrão(o mais comum deles), play -boy(de certa forma, oposto ao office), trabalhador e desempregado(a maior classe de todas).
A partir de amanhã, eu iniciarei uma série de mini - crônicas descrevendo os arquétipos urbanos e narrando as minhas experiências com eles. Aventuras divertidas, incômodas e até... perigosas.
Começarei pelo tipo urbano mais incômodo entre os arquétipos; o puxador de conversa.
E que Deus ajude todos nós!



ilustração por Gilles Tran
0 comentários:

Followers