Areias ao Vento
Sobretudo sobre o nada da existência arte,filosofia,e ciência; sobre tudo e sobre nada:do oculto e da sapiência
A fábula do gatinho solitário


Era uma vez ontem à noite, quando fui buscar a minha avó na sua casa, que ficava bem ao lado da nossa e havia na rua um gatinho - de pêlos "amarelados", ligeiramente rajados de branco e olhos castanhos claros - miando tristemente para o vazio escuro da noite e então voltando o seu lamento para nós. Parecia um pedido de socorro, parecia um choro da mais profunda tristeza. A minha avó explicou a mim e à minha irmã que ele era um integrante da dupla de gatinhos que ela alimentava; mas o outro, o branquinho, desaparecera um dia ou noite dessas e não mais voltou; e por serem mãe e filho, o filhote chorava a falta da mãe. Chorava de abandono e solidão e pedia aos outros que tentaseem encontrá-la para ele.

Afinal, humanos e animais não são tão diferentes assim: os nossos dramas são os mesmos.

28/03/02
0 comentários:

Followers