Areias ao Vento
Sobretudo sobre o nada da existência arte,filosofia,e ciência; sobre tudo e sobre nada:do oculto e da sapiência
A busca pela identidade

Acredito que o ser humano seja muito mais complexo do que possa parecer em análises mais rápidas ou precipitadas em situações do tipo "amor à primeira vista" ou "psicóloga entrevistando candidato à vaga para um emprego". Quando comecei a tentar conscientemente me definir e conhecer como indivíduo, descobri que a sociedade nos atribui códigos numéricos arbitrários, inscritos em documentos designados por acrossemias como cpf, rg... pqp, nda, etc. Nos cobra definições de senhas de acesso pessoais, a escolha de profissões através de vocações para nos tipificar, nos atribui signos zodiacais involuntários, nomes e sobrenomes atávicos escolhidos ou legados por terceiros que são os nossos pais. Nenhum deste rótulos, estereótipos, arquétipos marcas, senhas e tipificações é conscientemente ou voluntariamente escolhido, talvez nem mesmo as nossas profissões sejam por dependerem de talentos, dons, habilidades inatas que não escolhemos. Para me construir internamente como pessoa, precisei de duas coisas: construir um corpo forte para me defender e uma mente forte para atacar . E constatei que precisamos designar outros códigos, senhas, pseudônimos, nicknames, etc, para nos definir e nos dar acesso a nós mesmos. Aqui indico uma pequena lista do que todos precisamos ter com a finalidade de formarmos uma identidade: autoconhecimento, conhecimento, símbolos pessoais. Entre os símbolos pessoais, é preciso que se tenha um monograma, um totem, um signo. Aos poucos, demonstrarei quais são os meus símbolos pessoais além dos já conhecidos Gregory Grimaud e um deles está relacionado com o título do meu diário.
0 comentários:

Followers