Areias ao Vento
Sobretudo sobre o nada da existência arte,filosofia,e ciência; sobre tudo e sobre nada:do oculto e da sapiência

Palavras(ao vento) preliminares

Estou iniciando as primeiras linhas deste weblog e para que estas palavras iniciais sirvam de preâmbulo para tudo o que virá a seguir, é preciso que me apresente e que me situe no tempo e no espaço. Eu sou, para todas as suposições e eventos, Gregory Grimaud - autodenominado pseudônimo literário e para eventos virtuais(nickname) - nome que significa, etimologicamente "o vigilante que governa com o elmo" e que equivale a um livro de poemas não-publicado homônimo.Eu sou um estudante de vários assuntos, literato, trabalhador, artista e como religião não acredito em nenhuma religião, mas em todas as religiões - o que significa, amiúde, que sou um ocultista. O meu passa-tempo é ler, o meu talento é escrever. Por não acreditar na realidade tal e qual ela se/nos apresenta, por não concordar com as imposições sociais da nossa sociedade arbitrária regida por forças ocultas maléficas, usarei aqui um dos meus sete psudônimos, que me define não como a sociedade quis me rotular, mas como eu decidi ser. Por não acreditar no tempo e espaço como fomos condicionados a acreditar que eles são e formam a realidade (que na verdade é um sonho de realidade, coletivamente sonhado ) não situarei todos os eventos narrados neste diário em ordem necessáriamente cronológica, mas sobretudo numa ordenação retro-futurista cronológica e psicológica, conforme for. Apesar de estudar e trabalhar em instituições convencionais da sociedade, omitirei o meu cotidiano de trabalhador e estudante em prol da informação mais importante e interessante, dos meus estudos e práticas na incessante busca por evolução espiritual e das inúmeras incursões literárias que a todo momento faço, bastando para estas finalidades informar que sou do sexo masculino e tenho 27 anos .Não importa, para isto, onde moro;citando Robert Musil, no brilhante romance O HOMEM SEM QUALIDADES: "Portanto, não se dê valor ao nome da cidade. Como todas as cidades grandes, era feita de irregularidade, mudança, avanço, passo desigual, choque de coisas e acontecimentos, e, no meio disso tudo, pontos de silêncio, sem fundo;era feita de caminhos e descaminhos, de um grande pulsar rítmico e do eterno desencontro e dissonância de todos os ritmos, como uma bolha fervente pousada num recipiente feito da substância duradoura das casas, leis, ordens e tradições históricas".Para o que narrarei aqui pouco importa saber mais a respeito de quem sou, como todas as pessoas, e como você, sou um aglomerado de sensações armazenadas num cérebro a comandar um corpo com a marca dos meus pais e família e cicatrizes da minha própria existência individual, lembranças de infância mescladas com experiências recentes,memórias de sonhos que se foram nas noites passadas, sentimentos consolidados e emoções fugazes, conhecimentos armazenados e memórias falhas, desejos realizados ou irrealizados e necessidades fisiológicas pontuado com uma série de interrogações internas a respeito da verdade sobre a minha existência neste mundo.Aqui nestas efemérides(weblog) você terá a raríssima chance de acompanhar ao mesmo tempo o sofrimento de um escritor, a busca de um ocultista, as visões andarilho no mundo dos sonhos, o idílio de um poeta e os estudos de um estudante. Espero que você valorize estas linhas pois é para você que não por acaso chegou até aqui que escrevo, para que as minhas descobertas e impressões possam ser compartilhadas e não para jogar palavras ao léu para se dissiparem como AREIAS AO VENTO.
0 comentários:

Followers